terça-feira, 27 de junho de 2017

Outras Notas



Algumas coisas guardadas no fundo da gaveta pra vocês. 
:)


***


26/6
O zumbido estático da televisão pairava sobre o quarto e tive que tirar da tomada para desligar. Eu perdi o controle. Bulimia não combina com os tons do banheiro, mas o sabonete com cheiro de flor é uma saída irresistível. Na realidade isso é sujo e se M soubesse teria nojo. Ainda choro durante a noite, mas pela manhã continuo a recolher meus pedaços.

Há algo queimando em mim. Meu café da manhã foi uma capsula de vitamina e há algumas fotos em meu celular. Thinspirations ainda me trazem uma sensação de segurança genérica, e deixam a porta entreaberta para o que quer que seja entrar. Eu preciso sair de cima do muro, e preciso fazer mais um milhão de coisas. A minha lista de prioridades muda todos os dias, não sei como algumas pessoas aqui por perto acham que sabem sobre mim...
Okay...

***
16/6
 Faltei a aula de xadrez para sair com M no dia dos namorados e foi realmente fofo quando ele se ajoelhou e entregou um anel prateado, embora eu já desconfiasse que isso fosse acontecer haha! Também tomamos sorvete e ele me comprou muitos chocolates mesmo eu dizendo que não.
 Fiquei gorda.gorda.gorda e... feliz.

***
23/06
A dualidade das férias me capturou e todo o desconforto que provavelmente -com certeza-  teria com os seres da minha escola será compensada por alguma outra coisa.
Sem duvidas 2017 foi o ano do "elimine pessoas inúteis da sua vida" [insira um nome aqui]. A lista é enorme, porque não vejo necessidade em interagir com pessoas que não mexem o traseiro para dizer ao menos Olá mas ficam irritadas por você não "babar o ovo" delas. Só uma coisa... Não vou e não sou obrigada a nada.


Beijo♥

segunda-feira, 19 de junho de 2017

A verdade.





A cor do meu cabelo não é interessante e eu nunca fiz uma apresentação decente. Não há rótulos para mim, há apenas café e a mesma mistura de pensamentos instáveis transbordando para fora da minha caneca. E tudo está bem, mas apenas até o último gole deste veneno. O espaço entre minhas pernas está sumindo, e eu estou indo junto a ele. Mas talvez eu esteja no caminho certo para a cura... é tudo tão difícil... É... O inferno. Sem eufemismo. Ossos sumindo e números subindo. Eu moro naquela linha, entre o sim e o não, o certo e o errado. Vou sempre viver nessa dúvida.

Comer. Sim, estou falando disso. É sempre sobre isso, não é? Faz algum tempo que meu universo gira em torno. Eu virei poeira estelar porque a anorexia me despedaçou, milhões de pedaços.  E agora, ser completa é diferente, meu cabelo não cai tanto e minhas unhas estão grandes.


Eles te dizem que é bom ser magra.
Mas não te dizem como é bom ser feliz.

***

Vou contar sobre o tempo que estive fora no próximo post.
Obrigada.




sábado, 3 de junho de 2017

The Room three




Existe um problema em não falar. Aquelas conversas ficam se repetindo em minha mente. São como finais alternativos daqueles diálogos falhos, com pessoas com quem sou obrigada a olhar na face. Discutir é cansativo e qualquer deslize é terrível. Como naqueles jogos de computador, precisamos dar resposta certa. Sei que qualquer coisa fora do planejado me traria ao desastre porque eu sou robô gentil que tem medo de quebrar. Sou a porcelana dentro de um molde.

***



"Você gosta muito de enigmas, e tenho um último, que te manterá ocupado pela eternidade; 

Você sabe a diferença entre um labirinto e uma prisão? 

Como posso esperar que responda se  você não sabe sequer a diferença entre uma sala e uma prisão?" 



Eu estava jogando para me distrair de tudo. Mas isso apareceu no meu monitor, no jogo...e  levará um tempo para que eu consiga dormir hoje.