terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

About your blood


Um pedaço de papel caiu dos livros dele. Era um desenho da nossa família que meu irmão de 4 anos fez na escola. Tinha minha mãe, meu padrasto, minha irmã e eu. Diferente dos outros, eu estava desenhada no fundo, perto de uma árvore, separada dos outros. Isso deixou um gosto estanho em minha boca.

Não me importo. Nunca me senti parte desta "família", um termo que exclui do meu dicionário. Nada bom pode sair daqui, não para mim.



Água com limão, uma bala de gengibre (20 kcal) e um comprimido. Ainda tenho aquele gosto estranho em meus lábios, quem sabe se eu fizer exercícios não me sinta um pouco melhor.


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Bad Things




Meu computador quebrou e está tudo uma bagunça. Eu voltei mais uma vez para maldito circulo vicioso da comida. "Como por que estou triste. Estou triste por que como." Meu peso não subiu muito mas a vontade é de tomar todos os remédios até isso ir embora.

Na verdade eu preciso ir a farmácia novamente por que uma "amiga" roubou o restante do meu Franol para tentar suicídio. Fiquei realmente furiosa com isso, só que no final das contas eu não pude fazer muita coisa, eu a entendo.
 Entendo o quão é ruim se sentir vivo.
 Entendo o quão é ruim não ser a pessoa que deveríamos ser.
 Entendo o quão é ruim ser machucado por alguém a ponto de ter pesadelos.
 Entendo.

Ela voltou do hospital, nos sentamos no chão e jogamos baralho, bebendo a cerveja de má qualidade do pai dela. Eu a fiz esquecer dos pensamentos ruins, mas, talvez no fundo, eu só quisesse esquecer os meus.



Eu pretendendo atualizar o blog todos os dias, ou pelo menos com mais frequência daqui em diante. Um abraço sincero para quem entende. Eu ainda não desisti.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Again







Acho que me afastei dele. O T.A. me distanciou de todos para falar a verdade. Sinto que não posso pedir ajuda, não consigo. Nem a ele, nem a um psicólogo; ninguém. Todos fingem que nada aconteceu, e eu aprendi a sorrir para afastar olhares. Alguns comprimidos foram suficientes para conter meu eu "doente". Me perco entres as teias porque efeitos colaterais não me assustam.

Há alguns dias meu peso era monstruoso. 51,3 Kg.

Vi a balança marcar 48,7 pela manhã. Mas o espelho só mostra toneladas de gordura vazando por meu corpo. Isso me deixa tão enjoada quanto o Franol, e, não é necessariamente uma coisa ruim. Eu creio que posso lidar com a ansiedade, a vertigem e qualquer outra coisa se obtiver resultados. Quero tirar fotos.
Mas ainda não é bom o suficiente.




Estou indo visitar vocês.