segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Blackout

 Presa em uma TV quebrada dos anos 80. Meus ouvidos chiam e estática cobre meus olhos. Este filme de terror está apenas começando.

Exercícios pela manhã me fazem forte |Ser forte significa ser magra| Significa não ter braços que parecem salcichas gordas| Significa ser mais forte| Significa ser mais magra|
Eu não sei o que isso significa.

Mas não é o suficiente para me fazer desistir.

Sou de vidro agora| vidro a prova de balas. Com meu interior limpo e transparente.

Menos 2, tenho 55 agora.

Sonhando em levantar voo com minhas asas de papel.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

I don't care anymore...



Estamos voltando de ônibus. O sol invade pelas janelas e contrasta gentilmente com aqueles olhos claros . Ele sorri, eu pergunto. M diz que está feliz "só porque sabe que vai me ver amanhã".

Então eu sorrio também.

|~×~|

Meados de novembro. Muitas coisas em aberto - planos, decisões a serem tomadas e ... oportunidades para dar errado. Correr para lados aleatórios não é o mesmo que ter um plano de fuga. Mapas diferentes te levam a lugares diferentes, e eu só preciso daquele que me tirará deste lugar.

Talvez eu tenha desistido dos contos de fada sobre doenças que são garotas. Mas ainda mantenho a sensação de querer voltar e me afundar porque uma borboleta pousou em meu joelho e foi incrivelmente mágico, incrivelmente lamentável também.

Pensamentos reflexivos sobre decisões ruins, é claro. Ainda me pergunto... todo maldito dia. Um T.A não me faria 'bonita", sei o que é bonito atualmente e não são caveiras com cara de doente terminal. Porém, qualquer coisa além dessa bola de carne mal distribuída que sou seria satisfatório para mim.

Lentamente e doloroso. Você não precisa de uma arma ou uma corda para ser um suicida. Eu escolhi morrer de fome.

Lendo garotas de vidro, escutando Teen Idle(Marina and the diamonds).








sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Error 404


Não dá para saber se é uma possível cura ou um intervalo até a próxima crise. Impossível, a compulsão aparece para dar um "olá" nos dias vazios e o inverso também. *suprisemotherfuck*  Tentar se livrar desse transtorno e acabar fazendo um NF, profanação bulímica, ginástica compulsiva etc...etc...etc...  Estúpido. Preciso tomar uma decisão. Fazer algo, não importa o que.

 Qualquer coisa que eu tente parece ter o efeito reverso, a balança da autodestruição está sempre equilibrada. Meu psicológico não. O peso está voltando para zona proibida. Cinquenta e sete.

[][][]

Quase todo bom filme de terror tem uma continuação. Domingo está chegando, dessa vez exatas. Sem declarações sobre o primeiro dia de Enem, basta dizer que estou feliz por não ser parte do #ShowDosAtrasados.

Garrafas sem rótulo, RG, caderno de prova, erros no gabarito(dessa vez não, HA!), revista com detector de metal...

Cansativo. Fico desejando que acabe logo.

><_><


Lua; o vinho é alcoólico e a embriaguez me tira da realidade. A garrafa de vinho quebrada e a taça vazia significam que estou mais na realidade, ao menos por agora.







sábado, 4 de novembro de 2017

.-. . .- -.. -.-- ..--..

 Começou com a maldita lista. Eu deveria saber que o primeiro lugar jamais me faria especial. Nas tuas mãos me tornei um mero peão nesse jogo doentio. Você nunca soube o significado de "amiga", mas mesmo assim prometeu coisas e me fez prometer também. Só porque sabia que eu as cumpriria. E você...não.

A tempestade levou-te para longe. Olhou profundamente em meus olhos e não disse adeus, porque se tivesse mesmo dito alguma coisa eu teria escutado... Oh céus, por mais baixo que fosse.

Você foi embora.

E tudo o que deixou foi a solidão permanente, obsessão crescente. Faço as listas agora que sou você, e fico imaginando se era tão desgraçada como me sinto agora.

***

7:34 a.m

Os números no visor reiniciam se pedalar bastante, foi uma boa descoberta... mesmo que minhas pernas estejam destruídas.

2h31 min pedalando, 1.000kcal  queimadas, 66 Km.

Com certeza morreria se tivesse que fazer isso todos os dias, então preciso encontrar outros meios de queimar sem ter um ataque cardíaco.

≈≈≈
O ENEM é amanhã, eu não sei exatamente o que dizer/sentir sobre isso. Na verdade sobre nada. Sou uma espiral de vazio interminável.


sábado, 28 de outubro de 2017

•°•°•°•°


 Já que algumas coisas não deviam ser ditas eu engasgo e sufoco nas próprias palavras. Mas o bebê quer estourar a delicada bolha protetora criada pela minha mãe, provocando um tsunami emocional em casa. Só preciso ter cuidado, se a bolha estiver muito alto no céu, eu irei cair e colidir brutalmente com a realidade.

S•O•R•T•E

É isso que desejam quando entrego um papel com meu nome e -terrível- rosto imprimido nele. Andei pela cidade inteira e definitivamente odeio esse lugar, ao menos espero ter queimado calorias. Existem algumas oportunidades/vagas, nada definido ainda. Preciso de um emprego para poder ir embora. Preciso de sorte.

Parece meio doentio a forma como emagrecer nunca sai de meus pensamentos, mesmo quando restringir não é o foco. Está sempre lá, como um câncer.

Existe um buraco negro em meu estômago. Ele irá crescer e matar todos vocês porque eu não vou alimentá-lo. É o mesmo peso  desde a última vez que anotei, um alívio, não estava fazendo restrição, mas agora estou.

M... me faz pensar que sou um pouco menos acabada do que acredito, infelizmente essa magia não é eterna. E depois da meia-noite eu sou abóbora novamente.




domingo, 22 de outubro de 2017

XXI woman and her bad adventure


Foi um rótulo "bonitinho" que ganhei durante uma rápida avaliação feita por dois colegas de classe. Eles estavam a superestimar algumas das minhas supostas qualidades e eu nem imagino qual a importância disso. Confesso que "mulher do século XXI" me surpreendeu. Não a parte do vinte e um, porque daqui a oitenta ou noventa anos isso vai ser ultrapassado, mas a parte do "mulher". Nunca achei que tivesse deixando de ser/se parecer com uma garota. Isso pode ser porque de fato não deixei, ou... Nunca fui uma. Tanto faz para mim...
**-
Na quarta-feira fizemos uma visita a universidade, com tudo de direito; cadáveres, ossos, bonecos, música alta, pessoas dançando Zumba(?), amostras grátis, dor nos pés e um pouco de ciúmes.

O demônio garoto da biblioteca retorna dos mortos e decide por si só que "vai" andar comigo e alguns colegas, já que os amiguinhos dele "disseram" que não iriam(mas foram) na parte de anatomia. Queria matá-lo, mas não me opus ao que ele determinou porque ninguém disse nada e eu não quis ser chata. O que me levou a bancar a alienada o resto do tempo, fingindo que não me importava e tentando deixar o incomodo de lado. Até que... Bum. Estamos sozinhos.
Eu, ele e... M.

Oh sim, M também estava presente. O tempo todo e meio incomodado também.

***
M me abraçou bastante(acho que tentando insinuar algo), enquanto o garoto da biblioteca mostrou não se importar, mesmo. Pareceu espontâneo, mas não deixou de ser uma situação embaraçosa. Depois de um tempo um outro garoto se juntou a nós e isso ajudou a diminuir um pouco a minha tensão psicológica.

Quase como super poderes, fiz os dois trocarem algumas palavras e o resto encaminhou naturalmente até que... Meu sapato desamarrou. Merda.

Abaixei para amarrá-lo. O garoto da biblioteca foi atrás de mim e esticou os braços, tocando minhas costas. M olhou como se estivesse tendo um infarto e eu perguntei que porra era aquela. Ele pediu para que eu fosse mais rápido mas... Adivinha... EU NÃO SOU O FLASH.

Fiquei completamente desconcertada com a posição/situação. A partir disso fui andando na frente segurando o braço de M, demorou um pouco para a cara de tacho dele desaparecer.

Encontrei os infelizes alunos que deixaram nós três no começo, tudo acabou com risadas.
Felizmente o dia terminou sem mais acontecimentos constrangedores.


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

*


Chorei. O passado me persegue com uma faca afiada e brilhante, estilo Pânico, mas parece que não sou a única pessoa a carregar segredos obscuros. Me matariam se contasse a vocês.

Nem em seus sonhos(ou pesadelos) esse sentimento te deixaria, nunca sozinha. 
Nunca. Sozinha. 
Nunca e sozinha. 
Nunca vai acabar bem. Você está sozinha. 

Está na sua mente garota. Ignore o homem atrás da cortina, porque nas paredes do manicômio não há janelas. 

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

»TAG« Essa sou eu em imagens


A minha querida Lua-san ♥ me marcou em uma TAG! Achei bem divertido e confesso que é algo novo pra mim já que, apesar do Paper Doll ser um blog sobre a minha vida... É difícil deixar meus gostos explícitos.
Foi uma idéia incrível da Any, que voltou com essa TAG.
***
1. UMA ESTAÇÃO. 

Outono. Gosto das cores desta estação...

2. UM MEIO DE TRANSPORTE. 
Cadillac 1965. Me faz querer viver nessa época... 

3. UM LUGAR. 
 
Lugares altos como prédios e etc. A vista noturna da cidade é linda.

4. UMA FASE DO DIA (MANHÃ, TARDE OU NOITE)
Madrugada. Quieto, solitário , silencioso... Eu amo isso.

5. UM FILME.
Scott faria de tudo por ela. Até enfrentar os sete ex-malvados de Ramona Flowers. Oh, eu amo esse filme. 

6. UM ATOR.
Chris Pratt. Senhor das estrelas. Salvador da galáxia, duas vezes... 

7. UMA ATRIZ. 
Scarlett Johansson. Ruiva, morena, loira.. Linda de qualquer forma. Como cabe tanta perfeição em uma pessoa?

8.UMA BANDA OU GRUPO MUSICAL.

The Neighbourhood. Rock. Alternativo. Preto e branco. 

9. UM PENTEADO. 
Coque simples.

10.UMA PARTE DO CORPO. 
Braços. Meu defeito.

11. UMA BEBIDA. 
Martini. Alcoólico. Muito alcoólico. PT. 

12.UMA FLOR OU PLANTA. 
Hortência. Rosa ou azul, muda de cor dependendo do solo.... Havia algumas em minha antiga casa. 

13.UM ANIMAL DOMÉSTICO.
Gatos. Tive muitos... 


14. UM ANINAL SELVAGEM. 
Cervos. They are in my Dreams.

15. UM LUGAR PARA CONHECER. 
Portugal :) Número um em minha lista, e você sabe não é? 

16. UM SONHO. 
Achar um lugar só meu. Distante de tudo  que me faz mal. 

17. UM ACESSÓRIO. 
Fones... ♥

18. UMA ARTE. 
Mangá. ありがとうございます 

19. UM MEDO. 
Nada nunca mudar. Apenas girar em círculos.

20. UM MONUMENTO. 
Não sei o motivo. Estátua da liberdade :)

21. SEU SIGNO. 
Virgem. 
Muito TOC e planilhas no Excel. 

22. SEU ELEMENTO ( DE ACORDO COM O SIGNO). 
Terra. 

23. UM ANIMAL OU PERSONAGEM MÍTICO DA MITOLOGIA.
Pandora e sua lancheira caixa. 

24. UM LIVRO.
Eleanor & Park. ♥

25. UM CANTOR. 
John Lennon. Despensa apresentações.

26. UMA CANTORA. 
Lorde. ♥

27. UMA REVISTA. 
Não tenho o costume de ler revistas, mas tenho um exemplar da Marie Claire no meu guarda roupa. Nem sei o motivo.

28. UMA MODELO. 
Behati Prinsloo...

29. UMA SÉRIE. 
Chato. Mal-humorado. Sarcástico. Mandão. Ranzinza. Brilhante. 
House. ♥

30. UM ROLÊ. 
Ir no banco e sacar o inativo. 

Sair com o boy... A pessoa que deixa qualquer lugar divertido. 

31.  UMA PEÇA DE ROUPA. 
Qualquer coisa com mangas longas. 

32. UMA COR. 
Azul turquesa. 

33. UMA PAIXÃO FICTÍCIA.
Tom Keen ( The Blacklist ). Vilão? Mocinho? Um beijo? Quero! 

34. UM ESTILO DE SE VESTIR. 
Casual. Jeans e alguma coisa... Embora eu pareça vestir um saco de batatas atualmente. 

35. UMA PERSONAGEM. 
Ramona Flowers. Inspiração para pintar o cabelo de azul e me arrepender depois... Lembrar que algumas coisas só são bonitas em gente da TV... 

36. UMA REDE SOCIAL. 
Tenho uma conta com menos de dez amigos, só pra falar com gente realmente importante para mim. E ver memes é claro. 

37. SIMPLISMENTE UMA IMAGEM. 
... 


Espero que esse seja o fim dos enigmas... Ou alguns deles ;) 
Obrigada borboletas. 

E chegando ao fim, vou indicar; 


Não vale GIF. Okay?! ♥

*perdoem eventuais piadas sem graça. 

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Chronology

2:01 A.M. 

Insônia. Puxões de cabelo frequente, mãos que se movem de maneira estranha. Qual o meu problema? Qual deles¿

6:10 A.M.
Os documentos estão na bolsa? Oh, essa roupa é tão feia. E essa também. Talvez seja eu. Tanto faz. Só café. Onde estão os óculos?

6:43 A.M.
Ela disse oi, mas não respondeu quando perguntei se estava tudo bem. Não tenho tempo pra isso, você precisa caminhar mais de pressa. 

10:36 A.M.
A prova de filosofia gabaritada me deu um tempo livre. Eu não posso ajudá-la. Não posso. 

11:05 A.M.
Meu pai é uma voz ao telefone. Letras no visor. Será que  merece ser chamado assim? 

3:22 P.M. 
Tem boas palavras. Ele é divertido. 

6:00 P.M. 
M. Quero um abraço. 

8:44 P.M. 
Talvez eu deva fechar os olhos um pouquinho. A claridade do monitor machuca meus olhos, o efeito sonoro sem graça da video-aula irrita meus ouvidos. 

10:31 P.M. 
Eles estão brigando novamente. Gritos. Gritos. Gritos. Qual o problema dessa vez? O divórcio existe, e apenas quero dormir. 

2:01 A.M. 
Insônia...

domingo, 1 de outubro de 2017

I'll be a good girl in the hell


 Os óculos sempre escorregam para ponta do nariz enquanto olho para meus pés. Incomodo constante, todo o tempo, o tempo todo. Pensamentos lineares tendem finalmente a vir e desesperadamente procuro um vício para me sustentar. Uma garota com cabelo azul e maço de cigarros me oferece um, eu aceito. 

Esquisito pensar que tive ambos e que ambos me desagradam. 

Só que cigarro é uma tristeza feliz quando meu pulmão não tem valor e o resto também não. 

***
M cuida dos vícios auto destrutivos por mim fazendo minha mente livre de nicotina. Infelizmente ele não pode livrar-me de mim mesma. Nem eu. Ninguém. É impossível. A fome é um suicídio lento e me dá tempo de escolher recusar viver. 

Tenho medo que cinquenta e três seja irreal. 




terça-feira, 26 de setembro de 2017

Change your eyes



Meu erro é voltar com raiva, fazer importar insignificâncias. Não é o que quero. Desejando algo mais puro em meus escritos, tentativa e erro. Eu me convenci de que perdoar é nobre, só que as cicatrizes não saem. Oculta na camada fina daquele papel.

"É que... você sempre anda meio assim... escondida."

"Estou sempre aqui professor." É verdade. Mas você não tem um mapa que leva a mim, simplesmente porque ele não existe.



quarta-feira, 20 de setembro de 2017

X

 Ele me segura com mãos firmes e desajeitadas.
"Você é tão leve".

 E você não sabe como essa mentira me afeta.

Tudo me afeta, até risadas malvadas ao fundo.

Dane-se. Estou mantendo isto sob a camada superficial do meu papel, raiva é apenas temporário. Os peitos de algumas garotas parecem crescer mais que o cérebro.
Aplausos. Sorriso sarcástico.

sábado, 16 de setembro de 2017

Nothing





Engolir as próprias palavras para compensar a fome e mesmo assim ter medo de engordar. Resumida a isso, nada mais.

O alheio me conforta, eu gostaria de voltar para a biblioteca. Ultimamente tudo tem estado apenas desse jeito, "gostaria". Não estou fazendo muito, nada na verdade.

A balança marcou cinquenta e quatro. Falta apenas esses quatro para me livrar daqueles dez malditos quilos que ganhei. E cinco para a meta ideal. Está sendo mais rápido do que imaginei.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

DeadInside





Tinha um pouco de sangue na ponta dos meus dedos, o suficiente para me deixar com medo. Sentei no piso frio do banheiro e fiquei por um tempo. Macarrão instantâneo me deixa perturbada e agora está me matando. Eu deveria admitir mas o vidro em volta de mim se partiria em mil pedaços.

Meus monólogos interiores nunca param. Estou pensando em... coisas ruins. Tudo é ruim, eu sou. Não é mais o cabelo, o peso e outras mil coisas. É o conjunto. E de uma hora para outra sou ruim demais para existir, não quero reparos. Mais uma vez, estou voltando para o buraco e lá só há o corpo morto de Alice. Preciso superar isso.

Os números variam entre cinquenta e quatro e cinquenta e cinco porque minha balança é tão precisa quanto um bêbado. Não é suficiente.

E às vezes parece jamais ser.


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

seventeen


Ontem foi meu aniversário de dezessete e nada realmente mudou, são todos mentirosos. Eu, sou a maior deles.
Pessoas em volta da mesa cantando e sorrindo, não dá para fugir disso, principalmente se o aniversário é o seu. Fiquei olhando para baixo e tentando esconder o pânico das quatro que me observavam ao mesmo tempo.
Mas tudo sumiu, junto com o conteúdo da garrafa na mesa. Uma felicidade artificial acompanhada da embriaguez excessiva. Me chamaram de "mini Batman" enquanto música dos anos 80 tocava ao fundo. O bolo estava ótimo e disseram que o presente chegaria pelo correio mais tarde, não ligo muito para isso.

Agora que o efeito se foi, tudo volta ao normal. Vou continuar caminhando para compensar aquele dia.

56.3. Mais uma meta alcançada.

domingo, 3 de setembro de 2017

Kermit the frog





Minha mente diz não para tudo o que é falso. E infelizmente tudo tem gosto sintético.

 Há uma garota com quem costumava ouvir músicas, costumava beber, conversar. Ainda senta ao meu lado no ônibus e hoje é apenas um silêncio desconfortável que tenho que lidar. Não sei o que aconteceu. Talvez eu vá para escola caminhado agora, queima mais calorias. Algo me diz que deveria dar importância a isso, mas ela parece sorrir com outros amigos. Egoísmo é meu sobrenome.... talvez eu esteja voltando para aquele lugar.

Tanto faz.


Eu consegui me manter.
E tudo flui naturalmente porque não sei planejar. Primeiro eu me perco e depois faço um plano. Em seguida um plano reserva, um plano B, C e D também, outro plano caso outros falhem e... Merda, no final continuo perdida. Só que agora em minha mente.

Mas isso não aconteceu, faltam apenas 20 minutos para um no food de dezesseis horas. Espero ter bons números.





sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Me desculpe

Meu psicológico não está bem desde quando M apareceu inesperadamente enquanto eu escrevia. A habilidade de mentir descaradamente ainda não me deixou e foi sublime da parte dele respeitar meu espaço pessoal. Não fez tantas perguntas e quase não insistiu para ler o que escrevia, exatamente o que me faz querer perecer de tanto remorso. 
Não posso dizer a ele, não agora. Me recuso a acreditar que me deixaria mas mesmo assim, conversar sobre blogs de transtornos alimentares, textos secretos e pensamentos obscuros... Loucura, não é? Rastejando pela ponta do iceberg, é incapaz de saber que sou mais fodida do que ele pode sequer imaginar. 

Não posso dizer, e terei que arrastar a culpa. 
Ele não merece isso.