quinta-feira, 16 de março de 2017

Not a mermaid


Quando tinha 11 anos, eu escrevi uma carta dizendo o quanto gostaria de pegar uma caneta, furar meu pescoço e sangrar até a morte. Gritaram dizendo que garotinhas jamais deveriam pensar coisas como essa, fui proibida. Hoje vi um lago bonito pela janela do carro, algo me fez querer adormecer debaixo dele.


Eu estava indo para um aniversário. Refrigerante. A água daquele lago preenchia meus pulmões, a cada gole. Foi terrível. Então a culpa me fez recusar um segundo pedaço de bolo, o anfitrião da festa expressou sua cólera. Palavras tão afiadas como facas.
"Você não pode ficar mais gorda do que já está. Coma."

"Não, obrigada."


Eu preciso mesmo recusar todas as vezes?
Os dias viraram loops infinitos.


***

Mad Wold era à única que conhecia do Tears for Fears. 
Pale Shelter é realmente lindíssima. Não conheço toda a letra, mas meus lábios  insistem em se mover. "You don't give me love"
Obrigada GK. 

sábado, 11 de março de 2017

a bad man yelled at me


 Eu já estive aqui antes.

No presente. Onde tudo é preto e branco. Fones de ouvido são melhores amigos, não podemos colocar os pés no chão.

No crepúsculo da manhã deixei tudo de lado. Eu não sei porque escrevo quando quero me calar.


quinta-feira, 9 de março de 2017

Maybe


Se passaram três dias. Lacunas em memórias despedaçadas.

***

Sempre haviam pessoas ao redor dele. Aquele tipo de pessoa engraçada. Mas éramos opostos e chegamos perto demais. Uma colisão terrível, por dois ou três anos... Todos os dias. Infinito.


Então M quebrou a perna. Futebol é um esporte perigoso, tanto quanto o olhar dele. De repente não haviam amigos nem nada, só havia uma cama e ele ficaria nela por muito tempo.

Eram mensagens ocasionais, eu lhe contava sobre como as pessoas da nossa classe estavam e coisas nada importantes. Isso lhe alegrou. Então continuamos. E depois mais um pouco.

O foco sempre muda, chegamos nas histórias. Aquelas sobre as coisas que nunca contamos para ninguém. Falamos demais. Ele me contou sobre vidas de baixo de um teto com agressão e alcoolismo e eu lhe mostrei as cicatrizes no meu quadril. Ele me contou sobre o amor, e eu lhe disse sobre os fantasmas da biblioteca.


Três meses depois lhe fiz uma visita. Eu deveria ter entregado a ele uma lista sobre os trabalhos escolares. Só.
 Mas deixei que o rosto dele se aproximasse o suficiente....
***

Um tempo depois M já estava recuperado, voltou com chocolates e um pedido especial. Eu disse "talvez". E agora ele gosta de colocar sua mão sob a minha.

×××







A única palavra que me vem a mente é "Piegas".
:)

segunda-feira, 6 de março de 2017

The End of the Lies




"Eu quero ser só seu amigo"



Talvez vocês não se lembrem. Faz muito tempo que falei sobre aquele menino. "O garoto da biblioteca". Eu costumava conversar bastante com ele há um ano. Depois de algumas cartas e um pouco de contato labial as coisas pareciam ir bem... Mas, não. Dias depois aquela mensagem chegou e me senti ridícula com aquelas palavras piscando no visor. "Eu quero ser só seu amigo".

É claro que eu tentei buscar alguma justificativa mas nunca me senti tão invisível. Foi quando ele mirou nos meu olhos e deu ombros que realmente entendi. "Eu não quero mais nada de você". Sim, eu entendi. Sem qualquer expressão ou palavra. Entendi.


Acho que era remorso. Aquele pedido chulo de desculpas em uma única e simples mensagem, não eram nem 9 palavras. Ou nas vezes que ele sussurrou um oi ou olá pelos cantos... Ignorado. Eu fiz isso por que realmente gostaria que ele se fodesse esquecesse disso. Como eu quis esquecer.

Nos encontramos no corredor esta manhã e fomos o que nunca devíamos ter deixado de ser um para o outro. Estranhos.

***

Existe alguém aqui. M.
Uma longa história, para um próximo post.


domingo, 5 de março de 2017

JOKE


Eu tenho três vestidos, agora. Antes eram dois.

O primeiro é preto. Digno de um enterro.
O segundo também. Mas as margaridas brancas estampadas neste o fazem parecer um pouco mais humilde. Ainda lembra um enterro.

O último ganhei ontem, é marrom e tem algumas flores coloridas. Segundo a moça, "ele é pequeno demais e na menina magra deve servir". Ganhar coisas é uma vantagem de ter um peso abaixo do das outras  pessoas, hoje eu ganhei um doce da dona da padaria, "você está ficando magra"(😂).

Agora eu tenho três vestidos, mas ainda não sou magra.