quarta-feira, 20 de setembro de 2017

X

 Ele me segura com mãos firmes e desajeitadas.
"Você é tão leve".

 E você não sabe como essa mentira me afeta.

Tudo me afeta, até risadas malvadas ao fundo.

Dane-se. Estou mantendo isto sob a camada superficial do meu papel, raiva é apenas temporário. Os peitos de algumas garotas parecem crescer mais que o cérebro.
Aplausos. Sorriso sarcástico.

sábado, 16 de setembro de 2017

Nothing





Engolir as próprias palavras para compensar a fome e mesmo assim ter medo de engordar. Resumida a isso, nada mais.

O alheio me conforta, eu gostaria de voltar para a biblioteca. Ultimamente tudo tem estado apenas desse jeito, "gostaria". Não estou fazendo muito, nada na verdade.

A balança marcou cinquenta e quatro. Falta apenas esses quatro para me livrar daqueles dez malditos quilos que ganhei. E cinco para a meta ideal. Está sendo mais rápido do que imaginei.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

DeadInside





Tinha um pouco de sangue na ponta dos meus dedos, o suficiente para me deixar com medo. Sentei no piso frio do banheiro e fiquei por um tempo. Macarrão instantâneo me deixa perturbada e agora está me matando. Eu deveria admitir mas o vidro em volta de mim se partiria em mil pedaços.

Meus monólogos interiores nunca param. Estou pensando em... coisas ruins. Tudo é ruim, eu sou. Não é mais o cabelo, o peso e outras mil coisas. É o conjunto. E de uma hora para outra sou ruim demais para existir, não quero reparos. Mais uma vez, estou voltando para o buraco e lá só há o corpo morto de Alice. Preciso superar isso.

Os números variam entre cinquenta e quatro e cinquenta e cinco porque minha balança é tão precisa quanto um bêbado. Não é suficiente.

E às vezes parece jamais ser.


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

seventeen


Ontem foi meu aniversário de dezessete e nada realmente mudou, são todos mentirosos. Eu, sou a maior deles.
Pessoas em volta da mesa cantando e sorrindo, não dá para fugir disso, principalmente se o aniversário é o seu. Fiquei olhando para baixo e tentando esconder o pânico das quatro que me observavam ao mesmo tempo.
Mas tudo sumiu, junto com o conteúdo da garrafa na mesa. Uma felicidade artificial acompanhada da embriaguez excessiva. Me chamaram de "mini Batman" enquanto música dos anos 80 tocava ao fundo. O bolo estava ótimo e disseram que o presente chegaria pelo correio mais tarde, não ligo muito para isso.

Agora que o efeito se foi, tudo volta ao normal. Vou continuar caminhando para compensar aquele dia.

56.3. Mais uma meta alcançada.

domingo, 3 de setembro de 2017

Kermit the frog





Minha mente diz não para tudo o que é falso. E infelizmente tudo tem gosto sintético.

 Há uma garota com quem costumava ouvir músicas, costumava beber, conversar. Ainda senta ao meu lado no ônibus e hoje é apenas um silêncio desconfortável que tenho que lidar. Não sei o que aconteceu. Talvez eu vá para escola caminhado agora, queima mais calorias. Algo me diz que deveria dar importância a isso, mas ela parece sorrir com outros amigos. Egoísmo é meu sobrenome.... talvez eu esteja voltando para aquele lugar.

Tanto faz.


Eu consegui me manter.
E tudo flui naturalmente porque não sei planejar. Primeiro eu me perco e depois faço um plano. Em seguida um plano reserva, um plano B, C e D também, outro plano caso outros falhem e... Merda, no final continuo perdida. Só que agora em minha mente.

Mas isso não aconteceu, faltam apenas 20 minutos para um no food de dezesseis horas. Espero ter bons números.